terça-feira, 19 de abril de 2011

////

Vamos falar de Adoção Tardia?

Hoje eu tomei coragem de falar de um assunto que me mobiliza muito e que mudou a minha vida! Vamos falar de Adoção Tardia.
Gente querendo adotar tem muito, milhares mesmo! Tem até mais gente querendo adotar do que crianças para serem adotadas! Se é assim por que tanta espera na fila de adoção? Essa espera se deve ao perfil do adotante brasileiro que ainda é muito limitado.
Eu sei que sonho cada um tem o seu e deve lutar por ele, mas em adoção o sonho da maioria dos adotantes é um sonho excludente e que bota a margem do processo milhões de crianças fora do perfil por serem escuras demais, ou por terem nascido do sexo errado , estarem na idade errada ou por terem mais irmãos do que se deseja. No Brasil ainda se procura um filho 0KM,  como se a adoção fosse uma maternidade de segunda classe, ou uma prova de que falhamos no nosso papel de perpetuar o ciclo da vida.
Eu também já sonhei com um bebezinho gorducho e risonho, que um dia colocariam em minha porta e faria de mim a mãe mais feliz do mundo. No entanto eu tomei um balde de água fria ao visitar um abrigo e descobrir ali muitos meninos e meninas que tinham o mesmo sonho de família de comercial de margarina que eu tinha, mas que tinham poucas chances de realizar pois eram " muito velhos" para serem adotados ! Gente como é possível ser velho aos 5 anos?
Quando a gente se prepara para a adoção preenche uma ficha onde coloca as características que deseja no filho,  diz se aceita doenças tratáveis ou não, se aceita irmãos ou não e eu sei que é difícil preencher essa ficha pois ali estamos falando dos nossos sonhos, daquele desejo latente que nos acompanha a vida toda e que não foi possível realizar pelas vias " naturais". Ali a gente já imagina todas as fases que aquele filho terá, já imagina o quartinho, as roupinhas, ali começa a se materializar o seu sonho. Esse é o ínico de uma gravidez sem prazo para terminar.
Passei por isso tudo sonhando com uma criança de no máximo 2 anos de idade, rosadinho, saudável e risonho, e nesse processo tive muitas surpresas e conheci muita gente que foi me mostrando que a adoção não foi criada para que eu tivesse meu filho, mas que um filho me tivesse como mãe, e que esse filho viria da minha alma e não do meu DNA e por isso não teria de ser parecido comigo e nem mesmo nascer quando eu quisesse. Filho adotivo é filho de alma, alma tem brilho, alma não tem cor.
Li muito, chorei muito, fui conhecer a realidade e quando meu filho chegou era um menino pardo de 7 anos, que ja tinha sido devolvido uma vez, ja tinha sido separado dos irmãos, que viveria outra separação ao sair do abrigo onde era  amado e querido ( gente eles tem apego com o pessoal que cuida deles).
O Natanael chegou na nossa vida a 10 anos, chegou sofrido, inseguro, nos testando muito. No começo eu me perguntei em muitos momentos se tinha agido corretamente ao acolhe-lo, me vi em muitos momentos chorando e achando que ele não me amava. Esse filho me ensinou que mesmo aos 7 anos ele precisava de colo, precisava  ser ninado, precisava se sentir acolhido.  Com ele descobri que não precisava viver todas as fases do bebezinho, eu precisava era viver todas as fases do meu filho.
Eu não vi o primeiro sorriso do meu filho, mas vi e vejo lindos sorrisos todos os dias, eu não vi os seus primeiros passos, mas o ensinei a andar de bicicleta sem rodinha. Também não ouvi suas primeiras palavras, mas recebi a primeira cartinha que ele aprendeu a escrever. Eu vivi  e vivo com ele todos os " nossos " momentos, todos os que Deus preparou para nós!
Hoje o Natanael é quase um homem, fará 17 anos em junho, ano que vem tem de se alistar no exército dá para acreditar? Hoje vejo ele se interessando pelas meninas, demonstrando em alguns momentos uma sabedoria que me surpreende!
Ele me deu todo o trabalho e toda a alegria que um filho pode dar, eu só não troquei as suas fraldas, pois ele foi o filho que sonhou com uma mãe, e eu o acolhi com toda a sua história e bagagem. O Natanael foi uma das escolhas mais felizes que fiz em minha vida!
Tenho mais dois filhos que chegaram  com 2 e 3 anos. Amanhã o Aloísio que chegou com 3 fará 9 anos, um rapazinho muito inteligente e esperto que já sabe  o que quer e que me surpreende ao me olhar muito sério e dizer que será Chefe de Cozinha e que viajará o mundo todo.
A Adoção Tardia nem sempre é fácil, nossos filhos chegam com uma história de abandono a superar, mas eles são fortes e com nosso apoio conseguem recomeçar . Se você estudar, procurar apoio, participar de grupos de apoio, esse processo se torna mais fácil. Mesmo assim , é importante você saber que ouvirá muitas críticas por acolher " o filho dos outros", por adotar " uma criança cheia de defeitos da família biológica", ouvirá coisas absurdas.
A coisa mais absurda que eu ouvia muito quando o Natanael chegou era se ele me chamava de mãe. Afff que perguntinha que me irritava!!!!! Um dia, eu possuída por um espírito máligno respondi que não , que na verdade eu o havia ensinado a me chamar de "Zé". Pô gente se ele é meu filho eu só posso ser a MÃE dãaaaaaa! Responder se ele era o " menininho que eu peguei pra criar", era todo dia que eu ouvia.  Sempre respondi que não, que criar a gente cria bichinho, bota comidinha lá, mantém tudo limpinho que o bichinho cresce feliz e saudável. Filho é diferente, precisa nutrir com ética, respeito, educação e todos os valores importantes para a vida.
Não estou escrevendo tudo isso para que num arroubo de bondade você saia correndo ai da sua casa e adote o primeiro que encontrar ali na esquina. Estou escrevendo tudo isso, para as minhas amigas que pensam em adotar, mas acreditam que só serão felizes com um neném no braço. A felicidade já pode estar ali do lado te esperando amiga, e você aí sonhando com um filho idealizado. Para um tiquinho, pesquisa, vai ler, participa dos grupos de apoio e vai conhecer muita gente que realizou o sonho de ser mãe de um bebezinho maiorzinho, ou então de 3 bebezinhos maiorzinhos. É possível sim, vamos experimentar?

Olha só os meus filhos, me diz se não são liiindos! Essa foto é de 2009.


Filho adotivo também faz birram também briga com irmão, faz bico...será que só são eles que fazem isso tudooo?

Essa foi a primeira fotinho deles juntos, não são liindos!


Não vi os primeiros passinhos dela, mas na formatura do Pré eu fui e chorei!!!!


Esse é díficil de fotografar, foge da câmera!!!



Esses são os meus presentes de Deus, minha vida!!! Se eu tivesse me mantido no perfil padrão, hoje possívelmente ainda estaria na fila de adoção.
Não acho que a adoção deva ser um imposição, mas se você está disposto a adotar alguém, pense em alguém que precisa de você.
Beijos e ótimo dia
Glaucia

7 Comentários.

Comente!
  1. Lu Souza Brito disse... 19 de abril de 2011 12:15

    Glaucia, que´lindo e esclarecedor depoimento. Como te disse, queremos adotar uma criança e eu apoio tudo isso que você disse.
    E engraçado que nós nunca pensamos em bebezinho recem nascido ou parecido conosco. Achamos que a cor, o tipo de cabelo, coisas assim não dizem nada. Se for o caso de ter 2 irmãos, também nao teria coragem de separá-los. E sempre penso em crianças acima de 3 anos.
    Obrigada por compartilhar sua experiencia. E imagino as opiniões esdrúxulas que deve ouvir. Eu já ouço só por dizer que QUERO, DESEJO adotar.
    Um beijo

  2. Glaucia disse... 19 de abril de 2011 12:57

    Lu essa é uma das experiências mais ricas que podemos ter na vida!
    Leia, se prepare e logo vai sentir toda a felicidade que sempre sonhou com seus filhos ai do lado.

  3. Grace Luciana disse... 19 de abril de 2011 13:38

    Nossa amiga, vc está inspirada...amei de paixão seu depoimento...e vc sabe quando for receber meu filho (a) suas palavras farão toda a diferença...beijos de chocolate...afinal pra gente só os beijos mesmo...haja calorias...kkkk

  4. Glaucia disse... 19 de abril de 2011 13:54

    Grace, corrige esse texto...quando você for receber meu afilhado (a), faço questão!!!
    Beijos

  5. Angela disse... 19 de abril de 2011 15:42

    Glaucia,
    Tive o prazer de te conhecer e acompanhar parte de sua experiência como mãe e só posso confirmar suas palavras inspiradas na parte mais verdadeira da alma.
    É amor que você dá e é amor que você recebe!
    Sua família é linda (por dentro e por fora).
    Bj

  6. Marcia disse... 19 de abril de 2011 19:49

    Parabéns por ser uma mãe de alma e coração. DNA é um mero detalhe....
    Tem tanta gente que é mãe genetica e nem de longe tem o amor e a dedicaçao que tem...
    Parabéns!!

  7. cintia disse... 28 de abril de 2011 21:25

    Oi Glaucia acabei de conhecer o seu blog e parei ai para ler toda esta historia linda, parabéns, o máximo, sou mãe de 4, todos biológicos, mas antes do qyarto fiquei bem próxima a adotar duas meninas gèmeas, mas não deu, não era para ser, vai lá me conhecer, beijos

Postar um comentário